Presidente do Malawi chama atenção de homólogos africanos sobre produção agrícola

Addis-Abeba, Ethiópia (PANA) – O Presidente cessante da União Africana (UA), o Malauiano Bingu wa Mutharika, convidou os seus homólogos africanos a darem mais atenção ao desenvolvimento agrícola com vista produzir bastante alimentação a fim de manter os seus povos.

O chefe do Estado do Malawi fez estes pronunciamentos por ocasião da 16ª cimeira dos chefes de Estado e de Governo da UA iniciada domingo na capital etíope antes de passar o testemunho ao seu sucessor, o Presidente guineense-equatoriano, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo.

"Gostaria chamar a atenção desta augusta assembleia sobre a gravidade da persistência das penúrias alimentares em África e sobre o fato de a África e o mundo enfrentarem um aumento dos preços dos produtos alimentares", sublinhou Mutharika.

Ele recordou aos dirigentes africanos que a organização continental produziu, em 2010, um guia sobre a aplicação da visão da África em matéria da segurança alimentar dentro de cinco anos.

O guia contém as intervenções políticas necessárias para obter resultados concretos, incluindo o reforço do acesso às sementes de alto rendimento e às subvenções dos equimentos agrícolas pelos camponeses, a tomada de medidas de estabilização dos mercados, a criação de estruturas de motivação dos produtores, a gestão das importações de produtos alimentares e programas de melhoramento da nutrição a favor das camadas mais vulneráveis da população, referiu-se.

"Sem alimentação, não podemos continuar as operações de manutenção da paz, sem alimentação não podemos cuidar das nossas forças de defesa nacionais; sem alimentação não podemos manter as nossas crianças na escola; e sem alimentação não podemos ter a estabilidade política", sublinhou o Presidente Mutharika.

O Presidente malauiano comprometeu-se a continuar a defender e consagrar a sua energia à realização da inciativa para "a cesta básica da África", uma nova abordagem projetada que ressalta a agricultura e a segurança alimentar enquanto trampolim para um crescimento socioeconómico duradouro.

Adotada durante a 15ª sessão ordinária da assembleia da UA, em 2010, a iniciativa necessita de um apoio em termos de infraestruturas de transporte estratégicas, de desenvolvimento energético e de atenuação e adaptação às mudanças climáticas.

"Esta iniciativa baseia-se no reconhecimento dos grandes desafios a que a África faz face para produzir bastante alimentação para o seu povo", acrescentou o Presidente cessante da UA.

-0- PANA AR/VAO/LSA/TBM/IBA/CJB/DD    31jan2011

31 Janeiro 2011 21:32:31




xhtml CSS