Presidente do Gana assume liderança na CEDEAO

Yamoussoukro, Côte d'Ivoire (PANA) - A 44ª cimeira ordinária da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) terminou sábado com o emposse do Presidente ganense, John Dramani Mahama, na liderança desta organização sub-regional.

Os dirigentes da CEDEAO elegeram o Presidente Mahama para um mandato de um ano, sucedendo assim ao homólogo ivoiriense, Alassane Ouattara, que cumpriu dois mandatos.

O Presidente Mahama declarou, na ocasião, que os três domínios prioritários serão a paz e a segurança, a integração económica e o desenvolvimento da África Ocidental, bem como o desenvolvimento e a expansão das infraestruturas.

Agradecendo aos seus colegas pela sua eleição, Mahama revelou que ficou "realmente honrado e profundamente comovido e cheio dum grande sentido da responsabilidade".

"Em nome do Governo e do povo ganense, aceito esta importante responsabilidade para servir as populações da nossa região", afirmou felicitando o Presidente Ouattara pela sua excelente liderança durante os dois últimos anos.

Os chefes de Estado decidiram igualmente atrasar a assinatura do Acordo de Parceria Económica (APE) com a UE, devido a algumas preocupações levantadas pela Nigéria relativamente a este acordo.

A respeito dos APE, os dirigentes oeste-africanos decidiram criar um comité para responder as preocupações levantadas pela Nigéria antes que o acordo não seja assinado.

O comité que compreende a Nigéria, o Gana, o Senegal e a Côte d'Ivoire, vai reunir-se em Accra, a capital ganense, nas duas próximas semanas.

"A autoridade que aprova as conclusões do acordo em princípio, mas nota que há questões em suspenso. Por conseguinte, a Autoridade insta, os negociadores em chefe a tomar todas as medidas necessárias nos dois próximos meses para responder às questões levantadas", declararam os dirigentes no seu comunicado.

Esta cimeira de dois dias é a que registou a mais forte presença de chefes de Estado e de Governo estes últimos tempos com a participação de 13 dirigentes.

Sós os Presidentes do Togo e de Cabo Verde não se deslocaram e foram representados pelo ministro togolês dos Negócios Estrangeiros, Robert Dussey: e pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Pereira Neves.

-0- PANA SEG/AKA/IS/SOC/MARYsey 30março2014

30 Março 2014 23:06:06




xhtml CSS