Presidente da Comissão da UA condena ataque terrorista no Quénia

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – O presidente da Comissão da União Africana (CUA), Nkosazana Dlamini Zuma, condenou, nos termos mais firmes, o ataque terrorista que fez pelo menos 12 vítimas na cidade fronteiriça de Mandera, no nordeste do Quénia, a 25 de outubro.

Este ataque, reivindicado logo depois pelo grupo terrorista Shebab ligado a Al-Qaida, é o segundo em Mandera em menos de três semanas, indica um comunicado de imprensa da CUA divulgado sexta-feira.

Nkosazana Dlamini Zuma aproveitou a oportunidade para apresentar as sinceras condolências da UA às famílias das vítimas e desejou uma rápida melhoria aos feridos.

Garantiu igualmente ao Governo e ao povo do Quénia toda a solidariedade e o apoio da UA nestas circunstâncias difíceis, reafirmando a disposição da organização continental a ajudar o Quénia e os países da região através dos mecanismos regionais e continentais existentes.

Mencionou o processo de Djibuti sobre o reforço da cooperação em matéria de segurança na região da África Oriental e a Convenção da UA sobre a cooperação transfronteiriça, designada Convenção de Niamey, que compreende disposições relativas á segurança fronteiriça.

«Mais uma vez, a presidente apela à Comunidade Internacional para renovar o seu engajamento em vencer grupos terroristas cujo único objetivo é semear o caos, a destruição e a morte, dando o apoio necessário à Missão da União Africana na Somália (AMISOM) que se esforça para combater o grupo terrorista na Somália », declarou o comunicado.

-0- PANA AR/MA/FJG/BEH/MAR/DD 29out2016

29 Outubro 2016 13:25:30




xhtml CSS