Presidente cabo-verdiano elogia trajetória de Nelson Mandela

Praia, Cabo Verde (PANA) - O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, considerou o ex-Presidente sul-africano, Nelson Mandela, como um homem com uma "trajetória política, pessoal e humana das mais importantes da História moderna”, soube a PANA na cidade da Praia de fonte oficial.

Numa mensagem por ocasião do "Dia Internacional Nelson Mandela", celebrado quinta-feira para marcar o 95º aniversário natalício do ex-líder sul-africano, Jorge Carlos Fonseca considera o ícone internacional como uma personalidade que constitui uma "referência nos conturbados tempos de hoje" pela "tenacidade, coerência política e moral, coragem, amor à liberdade e magnanimidade".

O chefe do Estado cabo-verdiano, que se assume como um admirador de Mandela, recordou que o ex-líder sul-africano, que nasceu há quase um século, fez um percurso em condições particularmente difíceis para ele e para milhões de compatriotas seus, “emprestou-lhe uma dimensão que há muito transcendeu as fronteiras do seu país e de África".

"Ainda que vítima de um poder (apartheid) que reduzia a realidade do relacionamento entre milhões de pessoas à brutal dicotomia entre negros e brancos, e que, por isso, tinha tudo para nutrir profundo ressentimento pelos seus responsáveis, construiu um caminho bem diferente", indicou.

Na sua mensagem, o Presidente cabo-verdiano sublinha o facto de Mandela, mais do que formular uma opção, “conseguiu arrastar largos milhões de negros e brancos - marcados por uma história de uma violência ímpar, que se inscreveu nos corpos e dilacerou as almas - na sua utopia que consistia, simplesmente, em ver o mundo para lá do preto e do branco,
concebeu a Nação Arco-Íris, onde cabem todas as pessoas, de todas as cores".

Ele afirmou que a "grande contribuição deste gigante", que "germinou no espaço aparentemente menos provável", não podia ficar confinada à África do Sul.

"No mundo inteiro, nas mais diversas regiões, procura-se, em permanência, não apenas cultivar mas sobretudo utilizar os ensinamentos de Mandela, que, juntamente com o também ex-Presidente da África do Sul (Frederik) De Klerk, foi galardoado, em 1993, com o Prémio Nobel da Paz", disse.

O chefe do Estado cabo-verdiano concluiu a sua mensagem escrevendo que “num período em que a sua saúde se mantém em condições precárias, para além de, sinceramente, desejar um pronto restabelecimento a 'Madiba', apelo a todos os cabo-verdianos e amantes da paz que se unam em torno dos grandes ideais deste grande homem que tem feito da vida uma autêntica sinfonia à liberdade, à tolerância, à paz e à fraternidade".

O Dia de Mandela - Pela Liberdade, Justiça e Democracia, 18 de julho, foi instituído pela ONU em 2009 para homenagear os ideais defendidos pelo ex-chefe do Estado da África do Sul.

-0-  PANA CS/TON 19 jul 2013  







,

19 Julho 2013 14:38:54




xhtml CSS