Presidente beninense promete enviar 550 soldados à Nigéria para lutar contra Boko Haram

Lagos, Nigéria (PANA) - Para demonstrar o seu engajamento a favor da guerra contra a seita Boko Haram, o Presidente beninense, Thomas Boni Yayi, anunciou que o seu país contribuirá com 550 soldados suplementares para a Força Multinacional Interarmas (MNJTF) que deve combater a insurreição islamita no nordeste da Nigéria.

O jornal pró-governamental "La Nation" indicou que o novo desdobramento de 550 soldados eleva para 800 o número de soldados prometidos durante este ano.

A MNJTF constitui uma força regional integrada por tropas de países da Bacia do Lago Tchad, nomeadamente a Nigéria, o Níger, o Tchad e os Camarões. O seu mandato é lutar contra a seita extremista Boko Haram.

O Presidente Yayi fez este anúncio, no fim de semana passado, durante uma visita de um dia efetuada pelo seu homólogo nigeriano, Muhammedu Buhari, ao Benin.

O desdobramento da força regional foi atrasado por um défice de fundos.

Durante uma reunião realizada em fevereiro último nos Camarões, a Nigéria, o Tchad, os Camarões e o Níger decidiram enviar oito mil e 700 soldados, enquanto o Benin se comprometeu a fornecer 250 tropas.

Em seis anos, a insurreição extremista matou vários milhares de pessoas e desalojou milhões de outras das suas casas. Ela registou uma dimensão regional este ano, com ataques regulares perpetrados contra a Nigéria, os Camarões e o Tchad.

O Presidente Buhari visitou igualmente quarta-feira última os Camarões com vista a reforçar o apoio à força regional, pondo termo às suas consultas com os líderes dos países-membros da Bacia do Lago Tchad.

-0- PANA VAO/AKA/IS/FK/TON  03agosto2015

03 Agosto 2015 17:19:32




xhtml CSS