Presidente angolano recomenda imprensa pública a dar mais voz aos cidadãos

Luanda, Angola (PANA) - O novo chefe de Estado angolano, João Lourenço, convidou terça-feira a imprensa nacional pública a adequar a sua linha editorial ao atual contexto político do país, dando mais voz e espaço aos cidadãos e à sociedade civil.

Falando no ato de posse dos novos gestores dos órgãos públicos de Comunicação Social por ele nomeados na semana passada, o Presidente João Lourenço disse que espera ver "uma imprensa que sirva, por via dessa linha editorial, o interesse público".

Recomendou que os Conselhos de Administração ora empossados encontrem um ponto de equilíbrio, no sentido de satisfazerem este interesse público.

A seu ver, só com liberdade de expressão e de imprensa o país poderá caminhar para a verdadeira democracia, na medida em que são direitos consagrados na Constituição da República de Angola, e devem ser respeitados por todos.

Ciente do facto de ser tarefa difícil encontrar um ponto de equilíbrio, João Lourenço disse acreditar nas capacidades profissionais e de interpretação dos novos gestores, face ao atual momento político do país.

A esse respeito, recomendou que o canal internacional da Televisão Pública de Angola (TPA) vire a sua emissão para o mundo, ao contrário da atual política que está mais voltada para os cidadãos no exterior.

Durante o ato, o Presidente João Lourenço conferiu posse aos novos membros dos conselhos de administração da Agência Angola Press (Angop), da TPA, da Radiodifusão Nacional de Angola (RNA) e das Edições Novembro.

Esses conselhos foram nomeados por decreto presidencial, em 9 novembro deste ano,  para um mandato de cinco anos renováveis.

Com estas nomeações, o novo Conselho de Administração da Angop é presidido pelo jornalista Jossué Salussuva Isaías, coadjuvado, à semelhança do dos demais órgãos, por quatro administradores executivos e dois não executivos.

A área de informação, que agora passa a designar-se "Área dos Conteúdos", continua a ser chefiada pelo jornalista José Chimuco, reconduzido como administrador executivo.  

Os outros administradores executivos são Engrácia Manuela Francisco Bernardo (Administração e Finanças), Manuel Luzito André (Área Técnica) e Lourenço João Miguel Mutepa (Marketing e Intercâmbio), enquanto Anastácio Pinto Emídio de Brito e  Júlia Maria Dias Rodrigues Mingas mantêm-se como administradores não executivos.

Na TPA, José Fernando Gonçalves Guerreiro é o novo presidente do Conselho, assistido pelos administradores executivos Francisco José Mendes (Conteúdos), Bidima Manteya Jorge (Administração e Finanças), Manuel Florindo Rosa dos Ramos (Área Técnica) e Ana Maria de Lemos Rodrigues de Gouveia (Marketing e Intercâmbio).

Para o Conselho de Administração da RNA foram nomeados Marcos António Quintino Lopes, como presidente, e os administradores executivos Paula Marina Valério Alho Simons (Conteúdos), Fidel José Adão da Silva (Administração e Finanças), Cândido Gomes da Rocha Pinto (Área Técnica) e Círia Angelina de Castro Monteiro Cassoma  (Marketing e Intercâmbio).

São administradores não executivos Leonel da Conceição Abel Martins e António Baptista, para a TPA, e José Fernandes Coelho da Cruz Neto e Aguinaldo José Lino Cahilo, para a RNA. 

Víctor Emanuel Nelson da Silva é o novo presidente do Conselho de Administração das Edições Novembro, que editam o diário estatal "Jornal de Angola", sendo administradores executivos Caetano Pedro da Conceição Júnior (Conteúdos), José Alberto Domingos (Administração e Finanças),  Carlos Alberto da Costa Faro Molares D'Abril (Área Técnica) e
Mateus Francisco João dos Santos Júnior (Marketing, Publicidade e Vendas).

Olímpio de Sousa e Silva bem como Catarina Viera Dias da Cunha são administradores não executivos.

-0- PANA IZ 14nov2017

14 Novembro 2017 15:54:28


xhtml CSS