Prémio SONANGOL de literatura atinge Moçambique e Timor Leste

  Luanda- Angola (PANA) -- Autores moçambicanos e timorenses podem, a partir deste ano, também candidatar-se ao Prémio Sonangol de literatura até aqui atribuído somente a escritores de Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, soube-se quinta-feira em Luanda.
De acordo com o secretário-geral da União dos Escritores Angolanos (UEA), Adriano Botelho de Vasconcelos, com este alargamento o Prémio Sonangol de Literatura torna-se num dos maiores galardões da literatura lusófona.
Entre outras inovações do Prémio, o seu valor passa agora dos anteriores 25 mil dólares americanos para 50 mil dólares e a sua periodicidade deixa de ser bienal para ser trienal.
   Com este alargamento, os países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) que continuam fora do âmbito do concurso são o Brasil, Portugal e a Guiné-Bissau.
   O galardão patrocinado pela Empresa Nacional de Combustíveis de Angola (SONANGOL) já foi atribuído a escritores não angolanos como os  cabo-verdianos Carlos Araújo, Amílcar Lima e Vera Duarte.
   Carlos Araújo partilhou o prémio em 1999, com o escritor angolano Jacques Arlindo enquanto Amílcar Lima foi galardoado, na edição de 2001, com uma mensão honrosa, e Vera Duarte dividiu a edição 2003 com Adriano Botelho de Vasconcelos.
  

17 Junho 2004 18:29:00


xhtml CSS