Perspectiva de fim de conflito em Darfur

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – Os principais movimentos rebeldes de Darfur, a provínvia ocidental do Sudão, aceitaram assinar um acordo de paz visando pôr termo a oito anos de conflito, na sequência da aceitação dum projeto de acordo de paz negociado em Doha, no Qatar, anuncia a União Africana (UA).

A conferência de todas as partes em conflito de Darfur, que findou em maio último na capital do Qatar, aprovou o documento saído das negociações e destinado a por fim  à guerra civil em Darfur, uma etapa qualificada de "contribuição significativa para a resolução pacífica do conflito em Darfur".

O presidente da Comissão da União Africana (CUA), Jean Ping, saudou estes últimos desenvolvimentos em Darfur e exortou  outras fações irredutíveis de Darfur a "aproveitarem o consenso e a dinámica política em torno do Documento".

Ping manifestou a esperança de que a aceitação deste documento facilite uma cessação mais rápida das hostilidades em Darfur.

"As negociações de Darfur decorrem sob a direção do Painel de Alto Nivel da UA presidido pelo ex- chefe de Estado sul-africano, Thabo Mbeki, pela Missão conjunta da OOrganização NU-UA em Darfur (MINUAD) e o Governo qatari", indicou o presidente da CUA.

As autoridades sudanesas negoceiam com os rebeldes de Darfur, designadamente o Movimento para a Justiça e Equidade (JEM), e as duas partes aceitaram assinar o acordo de paz, indica-se.

O Movimento para a Justiça e a Equidade, o primeiro movimento rebelde de Darfur, afirmou o seu compromisso contínuo a favor de futuras negociações.

Responsáveis da UA idisseram colaborar com a ONU para preservar esta dinámica a fim de realizar a paz em Darfur, nomeadamente graças ao lançamento rápido do processo político.

-0- PANA AO/BOS/NFB/TBM/CJB/DD    07junho2011

07 Junho 2011 21:11:21




xhtml CSS