Perito tunisino sublinha vantagens da teledetecção para África

Tripoli- Líbia (PANA) -- África poderá obter um por cento do seu Produto Interno Bruto (PIB) a partir da aplicação das ciências do espaço, desde a detecção das águas às previsões meteorológicas passando pela protecção dos solos e pelo controlo da desertificação, afirmou o presidente da Associação Tunisina da Comunicação e Ciências Espaciais (ATUCOM), Mustapha Masmoudi.
Antigo secretário de Estado tunisino da Informação e perito em comunicação, Masmoudi apelou aos Africanos para tomarem consciência da importância das aplicações espaciais e da teledetecção em geral e de outras aplicações secundárias que "têm um impacto considerável sobre o desenvolvimento".
Ele falava em entrevista à PANA segunda-feira, em Tripoli, à margem duma conferência internacional sobre as técnicas da teledetecção e sistemas de informações geográficas.
Lembrou na ocasião que a Cimeira Mundial sobre a Sociedade da Informação (CMSI) emitiu recomendações neste sentido que salientam a contribuição da teledetecção e das comunicações espaciais no desenvolvimento da Internet em benefício de África.
Masmoudi é co-autor do relatório da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) intitulado "Vozes Múltiplas, um Único Mundo" e representa África no gabinete executivo da Academia Internacional da Ciência Aeroespacial.
Ele defendeu uma presença mais acrescida do continente nesta instituição que conta mais de mil e 200 especalistas espaciais.
O também autor do livro "África Face aos Desafios da Autoestrada da Informação" escrito em 1995 indicou que em África abundam peritos competentes repartidos por todos os países e que o essencial é reuní-los para despertar neles a consciência da aposta e permitir-lhes comunicar-se entre eles.
Deplorou a ausência da circulação da informação em África que comparou com uma casa de vários quartos que não comunicam entre si, obrigando sair até à rua para passar dum quarto para o outro.
Para ilustrar a importância das técnicas do espaço e da teledetecção, ele citou o exemplo do Bengladesh que justifica o seu interesse pela teledetecção afirmando que só o controlo das águas através desta tecnologia permitiu-lhe melhorar a sua colheita em oito por cento.

07 Outubro 2009 11:20:00


xhtml CSS