Pede-se amnistia para presos sidosos na África do Sul

Cidade do Cabo- África do Sul (PANA) -- A Organização dos Presos Sul- africanos para a Defesa dos Direitos Humanos (SAPHOR) pediu ao governo que amnistiasse os presos infectados com a SIDA no quadro das manifestações comemorativas dos dez anos da democracia sul-africana.
A SAPHOR indica, em comunicado, que o sobrepovoamento prisional e a propagação do HIV/SIDA através de agressões sexuais e tatuagens são inaceitáveis.
"Os presos infectados com o HIV/SIDA e que desenvolveram a doença devem ser entregues às suas próprias famílias.
Não devemos esperar que agonizem antes de serem libertos.
"As células previstas para 20 detidos ao máximo acolhem porém agora 60 presos com apenas uma casa de banho.
Esta situação contribuí, em grande escala, para a propagação das doenças", denunciou Derrick Mdluli, porta-voz da SAPHOR.
Explicou que conceder a amnistia às pessoas que têm apenas alguns meses para o aprisionamento e às que estão em condições de pagar multas, atenuaria o problema do sobrepovoamento prisional.
"Os presos em fase terminal, sobretudo os doentes da SIDA, tornam-se numa carga, em termos financeiros, para o governo e a administração penitenciária.
A sua libertação, graças à amnistia, permitir-lhes-á morrer de maneira condigna na sua casa e na presença dos seus entes queridos", concluiu.

06 Fevereiro 2004 15:00:00


xhtml CSS