Parlamento sul-africano protesta contra disposições da IAAF contra mulheres africanas

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) - O Parlamento sul-africano condenou o que chamou de "regulamentos discriminatórios" adotados pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), e suscetíveis de afetar a melhor atleta sul-africana, Caster Semenya.

A IAAF modificou a sua classificação para atletas com diferenças no desenvolvimento sexual. A decisão afeta atletas "femininos ou intersexuais", que têm altos níveis de testosterona no sangue e que  participam em  cinco provas, as de 400m, 800m, 1500m, milha e 400m com barreiras.

Caster Semenya é a campeã olímpica de 800m e venceu os 1500m nos recentes Jogos da Commonwealth na Austrália.

Depois da sua vitória nos Campeonatos do Mundo de 2009, foi anunciado que ela tinha sido submetida a testes de género para determinar se ela era realmente  uma mulher.

O presidente da Assembleia Nacional, Baleka Mbete, e o presidente do Conselho Nacional das  Províncias,Thandi Modise, declararam que as iniciativas da IAAF deveriam ser condenadas por todos os defensores dos direitos humanos em todo o mundo.

"O físico das mulheres africanas continua a sofrer um escrutínio e uma troça injustificados e racialmente humilhantes. Isso  deve parar", declarou o porta-voz do Parlamento, Moloto Mothapo.

-0- PANA CU/MA/AKA/DIM/IZ 01maio2018



01 Maio 2018 19:06:36


xhtml CSS