Parlamento cabo-verdiano adere à AUPELF

Praia- Cabo Verde (PANA) -- A Assembleia Nacional de Cabo Verde deverá aderir à União dos Parlamentares Francófonos (AUPELF), caso a sua candidatura seja aceite durante a reunião deste fórum, que terá lugar em Junho próximo em Niamey (Níger), informou uma fonte oficial.
Este anúncio foi feito pelo Presidente do Parlamento cabo- verdiano, Aristides Lima, por ocasião do Dia Internacional da Francofonia, que se comemorou quinta-feira nos 51 estados membros da Organização Internacional da Francofonia (OIF), da qual Cabo Verde faz parte desde Novembro de 1996.
"Estamos neste momento a redigir a nossa carta de motivação para aderir à Assembleia Parlamentar da Francofonia.
É uma questão de poucos dias", declarou o Presidente do Parlamento cabo-verdiano.
Aristides Lima sublinhou que esta adesão vai constituir uma ocasião muito importante para o Parlamento cabo-verdiano e contribuir para o reforço da Francofonia institucional.
Recordou que os deputados cabo-verdianos utilizam muitas vezes o francês nas relações internacionais e querem continuar a usá-lo ao lado do português, uma vez que isso também cria um espaço mais vasto onde também se abre uma possibilidade de diálogo político muito importante.
O líder do Parlamento cabo-verdiano disse que o diálogo no seio daquele espaço francófono pode ainda contribuir para o desenvolvimento da democracia e para uma cultura de paz entre os países membros.
Aristides Lima considera igualmente que Cabo Verde pode contribuir para a aproximação entre a Francofonia, a Lusofonia e a Hispanofonia.
"Quando um país tem essa possibilidade, como é o caso de Cabo Verde, pode até dar uma contribuição particular para o diálogo entre as instituições das diversas línguas", afirmou.
Disse que a realidade internacional faz com que já não se coloque a questão da adesão de um Estado a vários espaços, exemplificando o caso de Cabo Verde, que é membro da Lusofonia e da Francofonia.
Referiu que a Francofonia é uma referência e forma de articulação positiva e de aproximação dos povos que usam o francês, bem como uma forma para enfrentar os grandes desafios contemporâneos da democratização, globalização, desenvolvimento, construção da paz e afirmação do direito internacional.
Cabo Verde tem realizado algumas acções no âmbito das relações com a OIF, mas essa cooperação ainda está longe da dimensão desejada.
As áreas de intervenção da OIF em Cabo Verde incluem a educação, diversidade cultural, o desenvolvimento, a informática, circulação dos estudantes e a promoção do francês.
A cooperação com a OIF em 2000 e 2001 permitiu a realização, na cidada de Praia, de um encontro de concertação sobre o ensino do francês nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) membros da Francofonia (Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe).

21 Março 2003 10:13:00




xhtml CSS