Papel queniano na aproximação de grupos armados na RCA realçado no Congo

Brazzaville, Congo (PANA) - O chefe de Estado congolês, Denis Sassou Nguesso, saudou segunda-feira os esforços envidados pelas autoridades quenianas para aproximar líderes morais dos grupos armados na República Centroafricana (RCA), anuncia um comunicado transmitido à PANA.

Denis Sassou Nguesso, igualmente medianeiro internacional no conflito centroafricano, congratulou-se com os progressos registados durante discussões de Nairobi (capital queniana) reiterando o seu compromisso com o roteiro na RCA, lê-se na nota.

Instou, por outro lado, diferentes atores centroafricanos a concentrarem-se na organização do fórum de Bangui (capital da RCA) e na organização das eleições nos prazos previstos pela Carta Constitucional da Transição.

Com efeito, após ter notado constantemente ressurgimentos de violência na RCA, desde a assinatura em Brazzaville, em julho de 2014, do acordo de cessação das hostilidades e das violências, o chefe de Estado congolês tomou a iniciativa, por intermédio das autoridades quenianas, de aproximar os antigos Presidentes centroafricanos e levá-los a aderirem plenamente a este convénio.

De modo geral, ele desejava a adesão total destes últimos ao processo de paz iniciado em Libreville (Gabão) e continuado em Brazzaville, devendo a próxima etapa ser um fórum de Bangui. e o medianeiro regozijou-se que os atores envolvidos tivessem dialogado, de acordo com o documento.

Sassou Nguesso reafirmou que a transição em curso na RCA deve continuar nos termos da carta que ele havia enviado às autoridades centroafricanas e que prevê a prorrogação da transição para uma duração suplementar de seis meses no máximo.

Por outro lado, o medianeiro na crise centroafricana felicitou os Centroafricanos pela sua vontade de realizar o fórum de Bangui e as próximas eleições nos prazos previstos.

Saudou ainda o compromisso sem falha da comunidade internacional, designadamente as Nações Unidas e a União Africana, de estar do lado da RCA nesta crise que atravessa.

Apela aos parceiros internacionais deste país para uma mobilização intensa até a uma conclusão efetiva da transição, indica o comunicado da mediação na crise centroafricana.

-0- PANA MB/IS/FK/DD 20jan2015

20 Janeiro 2015 13:19:10




xhtml CSS