Países da OIF chamados a comunicar com diversidade cultural da RD Congo

Kinshasa, RD Congo (PANA) - O ministro congolês dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e Francofonia, Raymond Tshibanda Ntunga Mulongo, exortou terça-feira os países-membros da Organização Internacional da Francofonia (OIF) a aproveitar a oportunidade que lhes é oferecida pela organização em Kinshasa da 14ª Cimeira da Francofonia para "comunicar com a diversidade cultural da RD Congo".

Tshibanda, que presidia à cerimónia de inauguração da "Aldeia da Francofonia" construída na esplanada do Estádio dos Mártires de Kinshasa, no quadro das atividades da XIV Cimeira da Francofonia, convidou os participantes a visitar os stands das 11 províncias da RD Congo, representadas nesta minifeira internacional de Francofonia para tomar contacto com a riqueza cultural congolesa.

"Esta aldeira reflete a diversidade cultural e os valores universais dos países que partilham a língua francesa e dá assim a ocasião aos visitantes de descobrir as instituiçõs e os conhecimentos mútuos das populações que compõem este grande conjunto", sublinhou, acrescentando que esta aldeia é uma vitrina da RD Congo profunda, da qual o francês, língua oficial, contribui para cimentar a coesão e a unidade nacional.

Para o comissário-geral do comité de organização da XIV Cimeira da Francofonia, Isidore Ndaywel è Nziem, esta aldeia é um local de sociabilidade, de partilha de culturas e de lazeres. Foi construído com financiamento próprio da RD Congo numa extensão de 66 mil e 622 metros quadrados com cerca de 30 salas repartidas em 14 zonas institucional, de animação cultural, de exposição e de comércio.

Por seu turno, o administrador da OIF, Clément Duhaime, afirmou que a RD Congo "vai surpreender o mundo e que a OIF está orgulhosa de estar ao seu lado".

-0- PANA KON/AAS/MAR 10outubro2012

10 october 2012 22:33:27




xhtml CSS