PM etíope conserva direção da NEPAD apesar de desafios

Kampala- Uganda (PANA) -- O primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, um dos líderes africanos mais distintos, conservou automaticamente a direção da Nova Parceria para o Desenvolvimento de África (NEPAD), apesar duma oposição silenciosa ao seu mandato de três anos à frente da instituição.
"A questão da Presidência não foi levantada durante a reunião.
Ele (Zenawi) vai automaticamente conservar a direção", informou à PANA um alto funcionário que participou na reunião do Comité Executivo dos chefes de Estado realizada sábado em Kampala.
Este delegado, que falava sob anonimato por não ter sido autorizado a divulgar os pormenores da reunião, indicou que não havia objeções públicas à extensão do mandato do líder etíope durante o encontro dos líderes da NEPAD.
Previa-se que o Presidente senegalês, Abdoulaye Wade, entrasse em competição com o primeiro-ministro etíope para o posto.
"O fato de ele já ter ocupado um mandato de três anos é um motivo de preocupação.
Ele (Meles Zenawi) está envolvido em vários Comités da União Africana.
Achamos que ele deveria abandonar algumas responsabilidades", indicou um funcionário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Nigéria.
Um responsável dum país da África Oriental afirmou que o plano de Wade de retirar Zenawi é o resultado duma longa rivalidade entre os dois estadistas, notando que o Presidente senegalês disputou antes com o seu homólogo etíope.
A batalha de alto perfil pela direção do Comité Executivo dos Chefes de Estado para a NEPAD, cujo nome foi mudado para Comité de Orientação da NEPAD, criou muitas vezes controvérsia durante a Cimeira da UA.
Durante a Cimeira de Addis Abeba (Etiópia), em Janeiro de 2010, o Presidente Abdoulaye Wade teve uma violenta discussão com o líder da Revolução Líbia, Muamar Kadafi, que recomendou a dissolução do painel dos chefes de Estado que pilota as atividades da NEPAD, afirmando que o seu papel não era claro e que representava uma duplicação com a Cimeira da UA.
O líder líbio ridicularizou a realização duma série de cimeiras separadas antes da cimeira principal da UA, sublinhando que era uma perda de tempo.
A XV Sessão da Cimeira da UA realiza-se de 25 a 27 de Julho em Kampala, no Uganda, onde cerca de 30 chefes de Estado africanos discutirão sobre questões relativas a África nos domínios da saúde materna e infantil e da segurança regional.

25 Julho 2010 10:42:00




xhtml CSS