PAM suspende ajuda em Malanje

Luanda- Angola (PANA) -- O programa alimentar mundial (PAM) suspendeu quarta-feira a assistência humanitária nas localidades de Kambondo, Kinguila, Kalala e Kakulama, na provincia de Malanje (norte), porque as estradas estão sendo minadas por desconhecidos.
Segundo declarou quinta-feira, em Luanda, o representante do PAM em Angola, James Hiten, "quatro mil pessoas que vivem naquelas localidades não terão assistência humanitária até que se proceda à desminagem das vias rodoviarias, ou à sinalização dos locais minados".
Revelou ainda que, nos últimos três mêses, foram registados naquela região três acidentes de mina antitanque que fizeram 17 mortos e 12 feridos graves.
Neste momento, 32 mil pessoas das provincias de Malanje (norte), Moxico (leste), Huambo (centro) e Kuando-Kubango (extremo sudeste) estão sem ajuda humanitária até que se resolva a problemática das minas.
Por outro lado, as Forças armadas angolanas (FAA) e a Polícia nacional iniciaram terça-feira, na provincia do Bié (centro), patrulhas conjuntas nas vias rodoviárias para fazer face as acções banditescas nas estradas que ligam as províncias do Huambo (centro) e do Kwando-Kubango.
Durante o mês de Dezembro, as minas e os ataques à mão armada causaram oito mortos e dezenas de feridos naquela região.

03 Janeiro 2003 11:40:00


xhtml CSS