PAM descarta risco de fome na Mauritânia

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- A Mauritânia não está numa situação de fome mas enfrenta uma crise nutrimental de que é preciso interromper a progressão, declarou quinta-feira à tarde o director- regional do Programa Alimentar Mundial (PAM) para a África Central e Ocidental, Mustapha Darboe.
Darboe que falava no termo de uma visita de três dias à Mauritânia, indicou que 12 por cento das crianças menores de cinco anos de idade são afectadas por esta crise nutrimental, citando um inquérito efectuado em Dezembro de 2005.
Para sair definitivamente da crise resultante de vários anos de seca, de duas invasões acridianas em 2004 e em 2005 e de duas ondas de frio que provocaram muitos danos, o governo mauritaniano precisa de quatro milhões e 500 mil dólares americanos para financiar um programa de Intervenção Prolongada de Socorros e Relançamento (IPSR) que consiste num projecto e num programa de reservas de cereais.
Este montante destina-se a excluir o risco de escassez durante o período de chuvas, nomeadamente a 15 de Agosto de 2006.
A crise nutrimental prevalecente na Mauritânia explica-se pela ausência de um sistema eficaz de recolha de informações nos anos passados", estimaram fontes oficiais.
Este sistema de informações e de companhamento dos indicadores da segurança alimentar foi elaborado nestes últimos meses, declarou na mesma ocasião o comissário mauritaniano para a Segurança Alimentar, Abdallah Ould Ahmed Damou.

14 Julho 2006 22:49:00




xhtml CSS