Ouattara convida Gbagbo a aceitar recomendações da UA

Abidjan, Côte d’Ivoire (PANA) – Alassane Ouattara, proclamado vencedor das eleições presidenciais de novembro passado na Côte d’Ivoire pela Comissão Eleitoral Independente (CEI), convidou o Presidente cessante, Laurent Gbagbo, que reivindica igualmente a vitória do escrutínio, a aceitar as recomendações do painel de alto nível da União Africana (UA) para uma saída de crise pacífica e honrosa.

Numa mensagem à nação divulgada terça-feira nas antenas da Televisão Côte d’Ivoire (TCI), Ouattara afirmou a sua adesão total às propostas de saíde de crise da UA, notificadas a 10 de março último em Addis Abeba (Etiópia) aos protagonistas da crise pós-eleitoral.

Interpelando o Presidente cessante, Laurent Gbagbo, que se recusa a ceder o poder, Ouattara sublinhou que é tempo, no interesse superior da nação e no respeito do voto dos Ivoirienses, que ele aceite as propostas do painel de alto nível.

« Exorto-lhe a aproveitar esta nova iniciativa de paz do painel de alto nível da União Africana, após o voto dos Ivoirienses, depois dos apelos da sociedade civil, dos religiosos, da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da União Europeia, dos Estados Unidos, das Nações Unidas e de todos os nossos parceiros de desenvolvimento », insistiu Ouattara.

« Gbagbo deve compreender que ele e os seus próximos têm uma última oportunidade de saída pacífica e honrosa. A sua responsabilidade está pessoalmente engajada », prosseguiu Ouattara.

Ouattara exortou, além disso, o Conselho Constitucional, que proclamou a vitória de Gbagbo, a « respeitar a vontade do  povo redimindo-se para participar na reconciliação dos Ivoirienses, porque nenhuma instituição está acima do povo soberano”.

« Os membros do Conselho Constitucional devem reconhecer que cometeram um erro ao não respeitar o direito. A vossa decisão é uma recusa de justiça. A ocasião é-vos dada de se redimir e de participar na reconciliação dos Ivoirienses que vocês dividiram », afirmou Ouattara.

O campo de Laurent Gbagbo considerou « inaceitáveis » as propostas da UA e prometeu resistir para defender a sua posição de rejeitar a vitória de Alassane Ouattara nas presidenciais de 28 de novembro último.

-0- PANA BAL/TBM/SOC/MAR/TON 16março2011

16 Março 2011 10:19:39




xhtml CSS