Organizações de direitos humanos contra detenção de ativista no Burkina Faso

Ouagadougou, Burkina Faso (PANA) – Cinco organizações de defesa dos direitos humanos denunciaram a detenção, quinta-feira passada, do ativista burkinabe Naim Touré, antes de exigirem a sua libertação sem delongas, soube-se este domingo de fonte oficial.

Quinta-feira, 14 de junho de 2018, o jovem ativista e lançador de alerta de renome Naim Touré foi detido pela Gendarmaria Nacional por motivo de "incitação à revolta".

O ato incriminado representa uma publicação bastante crítica efetuada por Naim Touré na rede social Facebook na véspera da sua detenção.

As organizações de proteção dos direitos humanos e os defensores dos direitos humanos e da democracia signatários da declaração "exigem a sua libertação pura e simples sem delongas  e responsabilizam as autoridades pela indiferença que as populações poderão mostrar contra as forças de defesa e segurança na luta contra a insegurança e  o terrorismo".

"Elas têm como testemunhas os democratas, os parceiros do Burkina Faso, em particular a União Europeia (UE) e os defensores da liberdade de expressão da violação deste princípio fundamental da democracia no Burkina Faso".

Os organizadores signatárias são o Círculo de Despertar, a Rede das Organizações da Sociedade Civil para o Desenvolvimento (RESOCIDE), o Observatório para a Democracia e Direitos Humanos (ODDH), a Convergência de Cidadania Pan-Africana (CCP) e a Associação Mulheres Batalhadoras.

Em 2016, o mesmo ativista foi encarcerado e solto de seguida após um artigo sobre a justiça militar do Burkina Faso, lembre-se.

-0- PANA NDT/BEH/FK/IZ 17junho2018

17 Junho 2018 19:26:07


xhtml CSS