Organização da Unidade Sindical defende integração total de África

Banjul- Gâmbia (PANA) -- O secretário-geral da Organização da Unidade Sindical Africana (OATUU), Hassan Sunmonu, instou os chefes de Estado africanos a priorizar a erridacação da pobreza e a integração total de África.
"Os governos africanos devem abandonar as políticas neoliberais e de endividamento desfavoráveis à população e hostis ao desenvolvimento socioeconómico que lhes impõem o FMI (Fundo Monetário Internacional) e o Banco Mundial.
O interesse da população deve primar", declarou Sunmonu.
Falando quarta-feira em Banjul em entrevista à PANA, Sunmonu insistiu na necessidade de os Estados africanos lutarem contra a fome no continente.
Sublinhou que a integração do continente deve ultrapassar as esferas políticas e económicas e abordar a questão da liberdade de circulação das pessoas.
"Exortamos a cimeira a tomar decisões que permitirão a qualquer africano entrar livremente em qualquer país do continente.
Os vistos devem ser suprimidos para qualquer africano que entra num outro país africano como primeiro passo para a aceleração da integração africana", preconizou.
Apelou para uma racionalização acrescida do número de Comissões Económicas Regionais (CER), de oito para cinco, e tornar impossível a pertença a mais de uma organização sub-regional pelos Estados membros da UA.
"Estamos satisfeitos com a futura colaboração entre as CER e a Comissão da UA para fazer avançar o processo (de integração)", congratulou-se o secretário-geral da Organização da Unidade Sindical Africana (OATUU), afirmando que nenhum país pode agir sozinho.

29 Junho 2006 10:18:00




xhtml CSS