Oposição zimbabweana apela à UA para monitorar eleições no Zimbabwe

Accra- Gana (PANA) -- O Movimento para a Mudança Democrática (MDC, principal partido da oposição zimbabweana) apelou quinta-feira em Accra, no Gana, à União Africana (UA) para enviar uma equipa de monitorização eleitoral independente quatro meses antes das eleições previstas para 2008 no Zimbabwe.
"Só uma equipa de monitorização independente pode fazer com que os zimbabweanos tenham eleições democráticas, livres e justas", declarou a vice-presidente do MDC, Thokozani Khupe, em conferência de imprensa sobre o conflito zimbabweano, à margem das reuniões preparatórias da cimeira da UA prevista para 1 a 3 de Julho em Accra, a capital ganense.
Ela justificou este apelo por uma campanha de intimidação levada a cabo pelo partido no poder, ZANU-PF (União Nacional Africana-Frente Patriótica), em preçúdio às eleições do próximo ano.
"Se os resultados eleitorais forem constestados, isto vai ter consequências catastróficas para o país e para o continente", advertiu Khupe, congratulando-se no entanto pela nomeação, pela Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), do Presidente sul-africano, Thabo Mbeki, como medianeiro da crise entre o MDC e a ZANU-PF.
"Damos-lhe todo nosso apoio e acreditamos que a solução para a crise zimbabweana só pode ser alcançada através dum acordo negociado", disse a vice-presidente do MDC.
O principal partido da oposização no Zimbabwe quer um campo de jogo nivelado nas eleições onde cada eleitor zimbabweano bem identificado possa exercer o seu direito democrático para escolher a pessoa que vai dirigir o país.
Segundo Khupe, o MDC foi proibido de atingir o eleitorado através da Lei da Ordem Pública, que interdita reuniões não autorizadas pela polícia, e de organizar comícios nos próximos três meses.
O Movimento apelou para a abolição da repressiva lei dos médias, advogando o acesso à informação, a Lei de Protecção e Privacidade para garantir a liberdade da imprensa.
Exige a supressão de todas as leis repressivas contra a imprensa antes de os zimbabweanos irem às eleições no próximo ano, e pediu aos Estados membros da UA para quebrarem o silêncio sobre o abuso do poder pela ZANU-PF no Zimbabwe.

29 Junho 2007 18:40:00




xhtml CSS