Oposição manifesta disponibilidade para diálogo na Mauritânia

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- A Frente Nacional para a Defesa da Democracia (FNDD), uma aliança oposta ao golpe de Estado de 6 de Agosto de 2008 na Mauritânia, manifestou segunda-feira a disponibilidade de dialogar para encontrar uma solução para a crise política que vive o país.
Num comunicado divulgado em Nouakchott, a FNDD afirma que «fará tudo para facilitar o sucesso da mediação do guia da Revolução líbia Muamar Kadafi, presidente em exercício e grande defensor dos princípios da União Africana (UA)», sublinhando o seu desejo «duma solução consensual».
O líder líbio chegou segunda-feira à tarde a Nouakchott, onde vai manter encontro com o chefe de Estado mauritano, o general Mohamed Ould Abdelaziz.
Kadafi recebeu a 25 de Fevereiro passado em Muserata, a 220 quilómetros a leste de Tripoli, o general Abdelaziz que veio informá-lo da situação prevalecente na Mauritânia desde o golpe de Estado de 6 de Agosto pasado contra o Presidente democraticamente eleito, Sidi Ould Cheikh Abdallah.
Ele avistou-se igualmente, a 3 de Março em Sirtes, no centro da Líbia, com uma delegação da FNDD dirigida pelo deputado Boïdjel Ould Houmeid, antes de receber a 7 de Março o Presidente destituído.
Na sua qualidade de presidente em exercício da UA e de padrinho da paz no espaço da Comunidade dos Estados Sahelo-Sarianos (CEN-SAD), Kadafi tenta encontrar uma solução para a crise política na Mauritânia.
Nesta perspectiva, o líder líbio recebeu o mandado do grupo de contacto internacional sobre Mauritânia.

10 Março 2009 11:53:00




xhtml CSS