Oposição deplora estado da rede rodoviária na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – O Fórum Nacional para a Democracia e Unidade (FNDU) deplora "o estado de degradação” da rede rodoviária na Mauritânia, sublinhando que se trata “duma situação sem precedentes na história do país, que é o efeito duma deterioração constante sob o regime atual”, indica uma declaração publicada esta segunda-feira.

O FNDU,  um coletivo composto de partidos políticos, organizações da sociedade civil, centrais sindicais e personalidades independentes, constata que "a estrada da esperança, os eixos Nouakchott-Nema, mil e 200 quilómetros, Nouakchott-Rosso, Nouakchott-Nouadhibou,   fazem diariamente numerosas vítímas e consideráveis danos materiais.

A manutenção destes eixos vitais foi abandonada há vários anos, e a Empresa Nacional para a Manutenção Rodoviária (ENER), que garantia esta tarefa, foi colocada em falência e dissolvida, lembrou.

"Uma situação que contribui para paralisar a economia nacional e reflete-se negativamente no poder de compra das populações", deplora o FNDU, que publicou esta declaração na sequência dum fim de semana mortal nas estradas, com a imprensa local a dar conta nomeadamente de um balanço de 25 vítimas entre sexta-feira e domingo.

Por outro lado, o FNDU faz uma comparação com as estradas rodoviárias de países vizinhos como Marrocos, Senegal e Mali “que mostra uma profunda humilhação face à situação desastrosa em que se encontra a nossa rede rodoviária nacional".

No entanto, além do estado das estradas, outros fatores estariam na origem dos acidentes de viação na Mauritânia, nomeadamente a indisciplina de condutores, que respeitam pouco as prescrições do Código da Estrada, segundo especialistas.

-0- PANA SAS/JSG/FK/IZ 6agosto2018

06 Agosto 2018 13:28:25


xhtml CSS