Oposição denuncia inércia do poder face a massacres de civis no Mali

Bamako, Mali (PANA) – O Partido maliano para a Renascença Nacional (PARENA, oposição) exprimiu “a sua profunda preocupação face à escalada da violência na província de Ménaka (norte) e aos massacres de populações civis perpetrados nos últimos dias no Mali, indica um comunicado transmitido esta sexta-feira à PANA.

O PARENA condena estes ataques contra as populações civis malianas e nigerianas e denuncia o imobilismo do Presidente maliano, Ibrahim Boubacar Kéita, face a esta situação.

"O PARENA está preocupado com o silêncio e a inação do Presidente da República face às exações contra as populações civis malianas nas províncias no nordeste e centro do Mali", indica o partido no seu comunicado.

"A linha de alerta foi atingida. A instabilidade abala o país. Só no mês de abril último, mais de 200 pessoas morreram no nordeste e no centro do Mali. De 1 de janeiro a 31 de março de 2018, pelo menos 316 pessoas morreram no nosso país, devido à insegurança”, deplora o PARENA,  afirmando que essa indiferença "não pode continuar".

No entender do PARENA, impõe-se uma tomada de consciência geral e um posicionamento  nacional "face à subida da violência, aos massacres, aos confrontos intercomunitários, à instrumentalização da etnia ou da tribo e ao número demasiado elevado de vítimas civis".

-0- PANA GT/JSG/IBA/FK/IZ 4maio2018

04 Maio 2018 17:02:02


xhtml CSS