Operadora de telefonia Orange estende serviço à energia solar em África

Abidjan, Côte d'Ivoire (PANA) - A operadora de telecomunicações Orange vai lançar, neste  primeiro semestre de 2018, o seu serviço de acesso à energia solar nas zonas rurais de quatro países em África, soube a PANA quarta-feira de fonte da empresa.

Neste projeto, a Orange prevê a extensão da sua oferta de serviço de acesso à energia na Côte d'Ivoire, na Guiné-Conakry, no Mali e no Senegal, em junho próximo, pela distribuição de 12 mil kits Orange Energia, precisa um comunicado distribuído, em Abidjan.

A médio prazo, o serviço Orange Energia estará disponível em todos os países de implantação em África acoplado à comercialização de várias centenas de milhares de kits nos próximos cinco anos.

Segundo o presidente-diretor-geral da Orange Médio Oriente e África, Bruno Mettling,  a "Orange quer ser muito mais que uma operadora telecom em África. Quer ser um fornecedor de serviços essenciais à população".

"O desenvolvimento de soluções que permitam um maior acesso aos bens essenciais do quotidiano, como a energia sustentável, é uma mensagem forte neste sentido", acrescentou Mettling.

O serviço Orange Energia já está disponível na República Democrática do Congo (RDC), em Madagáscar e no Burkina Faso.

Proposto sob forma de kit compreendendo um painel solar, uma bateria e acessórios (empola LED, kit para recarregar vários telefones, rádio e/ou televisão), o material é fornecido por parceiros (BBOXX na RD Congo, D Light em Madagáscar e Niwa no Burkina Faso) selecionados pela qualidade dos seus produtos e pela sua capacidade de responder a uma procura maciça.

Os kits solares propostos pela Orange permitem iluminar toda a casa, recarregar os telefones móveis da casa, ou fazer funcionar uma rádio ou uma televisão. São de aplicação fácil e rápida, bastando instalar um painel solar no teto e uma caixa na habitação.

Os utilizadores beneficiam da garantia da Orange, que assume integralmente os encargos da instalação, da manutenção e das reparações com o concurso dos parceiros técnicos.

Existem várias fórmulas para se adaptar ao ritmo de vida das populações, com subscrições semanais, mensais ou trimestrais.

Na RD Congo, por exemplo, as subscrições mensais começam a partir de 15 dólares americanos.

O pagamento via Orange Money permite conceder ou restabelecer automaticamente à distância o serviço para a duração desejada, num serviço inovador que torna a energia solar acessível a um maior número de utentes graças à grande flexibilidade do pagamento por telefone móvel.

-0- PANA BAL/JSG/MAR/IZ 28março2018

28 Março 2018 20:52:29


xhtml CSS