Oito países africanos particularmente afetados por doenças não transmissíveis

Lagos, Nigéria (PANA) – As mortes devidas às doenças não transmissíveis (DNT) continuam a aumentar no mundo sobretudo em África, onde oito país têm nestas enfermidades a causa de mais de 50 porcento dos falecimentos, segundo um relatório divulgado esta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Argélia, Cabo Verde, o Egito, a Líbia, as ilhas Maurícias, Marrocos, as ilhas Seicheles e a Tunísia registaram uma taxa de mortes devidas às DNT de mais de 50 porcento em 2008, de acordo com este relatório.

Em contrapartida, as percentagens mais fracas foram registadas no Níger (16 porcento) e na Serra Leoa (18 porcento),  com a maioria dos países africanos situados entre os 20 e os 49 porcento, em termos de mortes devidas às DNT.

Tidas como a primeira causa de mortes no mundo, as DNT mataram mais de 36 milhões de  pessoas em 2008.

As doenças cardiovasculares foram responsáveis por 48 porcento destas mortes, os cancros 21 porcento, as doenças respiratórias crónicas 12 porcento e a diabete três porcento, indica o relatório, que apresenta a situação das DNT em 193 países.

Os líderes do mundo estão a preparar-se para uma reunião de alto nível da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre as DNT prevista para 19 a 20 de setembro corrente em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

O documento indica em que base os Governos devem concentrar-se para prevenir e tratar as quatro maiores doenças mortais, designadamente o cancro, as doenças cardiovasculares, as respiratórias e a diabete,  segundo a diretora-geral adjunta da OMS para as DNT e Saúde Mental.

A reunião da ONU vai sublinhar a importância da fixação de objetivos para progredir.

-0- PANA SEG/FJG/JSG/FK/IZ 14set2011

14 Setembro 2011 19:19:17


xhtml CSS