Oito cidadãos sul-africanos detidos em Angola por tráfico de droga

Luanda, Angola (PANA) - A Polícia angolana deteve nos últimos três meses oito cidadãos sul-africanos provenientes do Brasil que transportavam drogas em quantidades não reveladas, noticiou quarta-feira a agência angolana de notícias (Angop).

Os detidos desembarcaram em trânsito na capital angolana, Luanda, e tinham como destino o seu país de origem, a África do Sul.

Eles transportavam a droga ingerida e em bagagens, precisou a fonte citando o diretor-geral do Serviço angolano de Investigação Criminal (SIC), Eugénio Alexandre.

De acordo com Alexandre, Luanda passou a ser uma das rotas utilizadas "com alguma frequência" pelos traficantes, principalmente "mulas",  e que existe uma troca permanente de informações entre  as autoridades angolanas, sul-africanas e brasileiras em busca de colaboração no combate a essas atividades e responsabilização criminal dos seus autores.

“Estamos em presença de um crime transnacional e, como tal, exige engajamento de todos os países e aqui a cooperação é muito importante e tem sido fluida”, declarou, sublinhando que  
as autoridades policiais não estão satisfeitas com a simples detenção das "mulas".

Eugénio Alexandre explicou que o objetivo "é chegar aos barões do negócio".

Lembrou, ainda, que os 400 quilogramas de drogas apreendidos recentemente pela Polícia angolana, no Porto de Luanda, eram provenientes do Brasil e tinham como destino Marrocos.  

Sobre este caso, disse estarem a trabalhar "com profundidade" com a Polícia brasileira, marroquina e outras, para obter outras informações relevantes em relação à droga apreendida.

O responsável falava à imprensa à margem da reunião dos órgãos técnicos do subcomité permanente da Organização Regional de Cooperação dos Chefes de Polícia da África Austral (SARPCCO), preparatória à reunião anual deste órgão que se realiza sexta-feira, em Luanda.  

O subcomité permanente da SARPCCO está analisar a cooperação e troca de informações entre os países-membros, para o combate ao crime organizado, ao tráfico de seres humanos e a crimes cibernéticos, entre outras ilicitudes.

Eugénio Alexandre considerou positiva a cooperação existente na organização, revelando que,  anualmente, para além da troca de informações, as polícias da SADC realizam operações conjuntas, que têm permitido a apreensão de vários artigos roubados ou furtados nos países-membros.

A SARPCCO é um órgão do Comité Interestatal de Defesa e Segurança da (SADC) Comunidade de Desenvolvimento da África Austral e serve para promover, reforçar e perpetuar a cooperação e encorajar estratégias conjuntas para a gestão de todas as formas de crimes transfronteiriços, com implicação sub-regional.

-0- PANA  IZ 31maio2018

31 may 2018 11:27:35


xhtml CSS