OIF quer respeito de resultados das presidenciais na Guiné-Conakry

Dakar- Senegal (PANA) -- A missão de observação da Organização Internacional da Francofonia (OIF) na Guiné-Conakry instou os candidatos às eleições presidenciais neste país da África Ocidental a aceitar os resultados eleitorais a serem proclamados pelas autoridades competentes, refere um comunicado transmitido terça-feira à PANA.
"A missão apelou a todos os atores políticos para continuar a fazer o seu possível para manter o clima sereno e apaziguado que reinou no dia do escrutínio de 27 de Junho de 2010 e convidou os candidatos às eleições presidenciais a aceitar os resultados eleitorais normal e regularmente proclamados pelas autoridades competentes", relata o texto.
Liderada pelo presidente do Alto Tribunal de Justiça do Benin e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do seu país, Théodore Holo, esta missão "congratula- se com o respeito pelas autoridades de transição dos compromissos assumidos".
A Missão reiterou a disponibilidade da OIF "de prosseguir o seu apoio às autoridades e instituições conakry-guineenses com vista a favorecer a progressão deste país para uma era de paz, estabilidade e desenvolvimento sustentáveis".
Ela integra 20 personalidades das quais representantes pessoais de chefes de Estado, parlamentares, ex-ministros, responsáveis de instituições e peritos provenientes de 15 países francófonos, precisa o comunicado.
A delegação, mandatada pelo secretário-geral da Francofonia, Abdou Diouf, desdobrou-se na Guiné-Conakry por ocasião da primeira volta das eleições presidenciais de domingo último em que 24 candidatos tomaram parte.
Domingo, dia do escrutínio, vários líderes polítios conakry-guineenses apelaram aos eleitores para a calma e a moderação antes e após a proclamação dos resultados das eleições presidenciais, saudando nesta ocasião a forte mobilização das populações, constatou-se no local.
"A missão revela que os Conakry-Guineenses e as Conakry-Guineenses conseguiram exprimir a sua escolha em toda a liberdade apesar das insuficiências constatadas na organização do escrutínio", prossegue a mesma fonte.
Os observadores da OIF evocaram nomeadamente "a não disponibilidade a tempo da totalidade do material eleitoral, a falta de afixação das listas eleitorais, as lentidões na busca da identidade dos eleitores devidas à configuração alfabética das listas de assinaturas e o controlo desigual dos procedimentos de votação pelo pessoal eleitoral".
Na perspetiva das próximas consultas eleitorais, eles preconizaram "a transportação, a tempo, de todo o material eleitoral, a afixação das listas eleitorais diante das assembleias de voto, o prosseguimento da formação dos membros das assembleias de voto, a intensificaçao das ações de sensibilização dos eleitores aos procedimentos de voto e o prosseguimento da campanha cívica de informação", de acordo com texto.

30 Junho 2010 21:24:00




xhtml CSS