Observadores denunciam eleições presidenciais no Zimbabwe

Harare- Zimbabwe (PANA) -- A missão de observadores da União Africana (UA) no Zimbabwe declarou segunda-feira que a segunda volta das eleições presidenciais de sexta-feira desrespeitou as normas da organização panafricana, citando a violência e a falta de acesso da oposição à imprensa pública.
O Presidente Robert Mugabe, único candidato à sua sucessão depois da retirada do líder da oposição Morgan Tsvangirai, venceu as eleições, obtendo assim um sexto mandato à frente do país que dirige desde a sua ascensão à independência, a 18 de Abril de 1980.
Num relatório preliminar, os observadores da UA declararam que o escrutínio foi manchado pelas violências pós-eleitorais que "impediram uma participação massiva no processo eleitoral".
Os observadores da UA declararam que o Governo recusou igualmente o acesso da oposição à imprensa pública em violação das leis eleitorais no país.
A oposição revela que 85 militantes seus foram mortos pelos partidários do Governo entre as duas voltas das eleições presidenciais, cuja primeira foi ganha pelo candidato do Movimento para a Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, com maioria simples.
O Governo refutou estas acusações, atribuindo a responsabilidade aos seus opositores.

01 Julho 2008 09:05:00




xhtml CSS