Obasanjo preocupado com fuga de cérebros na saúde

Lagos- Nigéria (PANA) -- O Presidente da Nigéria, Olusegun Obasanjo, solicitou a Faculdade de Cirurgiões da África Ocidental a ajudar o país a parar com a síndrome da "fuga de cérebros" que tem reduzido os quadros do sector da saúde no país.
O Chefe de Estado nigeriano, que falava segunda-feira na cerimónia de abertura de uma Conferência da Faculdade em Abuja, adiantou que mais de 3,500 médicos registados no país estavam a trabalhar nos Estados Unidos.
Há ainda indicações de que várias categorias de funcionários da saúde foram obrigados a abandonar o país com destino a Europa e ao Médio Oriente, devido aos baixos salários e as más condições de trabalho.
Entretanto, Obasanjo disse que apesar de a sua administração não poder igualar ao vencimento que os profissionais da saúde recebem no exterior, "eles (os trabalhadores da saúde na Nigéria) não ganham o salário de um médico da mata.
" "Quando o dinheiro é gasto para formar médicos, devemos manter a sua qualidade e sermos capazes de os reciclar", sublinhou, considerando de lamentável o facto de médicos formados com dinheiro dos contribuintes emigrarem para o exterior a procura de dólar.
Obasanjo instou também a Faculdade a complementar os esforços do seu governo visando a melhoria dos cuidados de saúde na sub- região.
A Faculdade, formada há mais de 40 anos, tem actualmente 113 instituições acreditadas e 2,500 alunos.
Ela já formou especialistas nas várias disciplinas médicas, utilizando instituições acreditadas na sub-região.

28 Janeiro 2003 17:30:00


xhtml CSS