ONU quer reforço de presença de mauritanianas em órgãos de soberania

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- Um projecto destinado a reforçar o envolvimento das mulheres nos órgãos de tomada de decisões na Mauritânia foi lançado quinta-feira em Nouakchott sob a égide do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).
O lançamento deste projecto, que surge alguns dias antes da celebração, a 8 de Março, da Festa Internacional das Mulheres, inscreve-se na perspectiva das futuras consultas eleitorais constantes da agenda da transição iniciada a 3 de Agosto de 2005 na Mauritânia.
O empreendimento, que visa sobretudo o reforço das capacidades das mulheres no domínio da participação política e das instituições, constitui uma resposta à marginalização do género bem como.
O estatuto e a condição da mulher mauritaniana foram ainda marcadas por fortes disparidades em relação ao homem.
Esta situação, que resulta duma taxa elevada de desigualdades e dum fraco acesso aos recursos, está na origem duma exclusão flagrante das mauritanianas dos órgãos de tomada de decisões.
Em finais de Outubro último, as "Jornadas Nacionais de Concertação" realizadas no quadro da transição em curso no país recomendaram 20 por cento das candidaturas femininas às próximas eleições.

23 Fevereiro 2006 20:44:00


xhtml CSS