ONU lança plano de luta contra pobreza em África

Addis Abeba- Etiópia (PANA) -- As Nações Unidas vão lançar brevemente um plano de acção para reforçar o trabalho da União Africana (UA) no quadro da manutenção da paz, dos direitos humanos, da luta contra a pobreza, da mudança climática e da industrialização, revelou domingo em Addis Abeba o secretário executivo da Comissão Económica da ONU para África (CEA), Abdoulie Janneh.
Janneh declarou que a ONU estava pronta para instaurar o seu plano decenal destinado a reforçar as instituições de direitos humanos, em conformidade com os imperativos da visão da Nova Parceria para o Desenvolvimento de África (NEPAD).
Disse que os esforços de aplicação da estratégia de cooperação ONU-UA começaram no ano passado com um encontro de alto nível das duas organizações na sede da UA para discutir pormenores do plano de acção, incluindo acordos quadros conexos sobre várias.
A ONU está a aplicar o seu plano de acção conjunto com a UA através do que Janneh denomina de "mecanismo de colaboração inter-agências" pilotado por Asha Rose Migiro, antiga ministra dos Negócios Estrangeiros da Tanzânia nomeada Secretária-geral adjunta da ONU depois de Ban Ki-Moon assumir o seu posto no ano passado.
"Queremos apoiar os esforços da Comissão da UA e das comunidades económicas regionais para enfrentar os desafios ligados à pobreza, à mudança climática, à sida, à industrialização, ao comércio, à paz e à segurança e aos direitos humanos", prosseguiu Janneh.
Janneh, que falava na abertura da 12ª sessão do Conselho Executivo da UA que reúne os chefes da diplomacia de 53 países, indicou que a primeira sessão conjunta dos ministros das Finanças CEA-UA vai decorrer em Março deste ano.
Deplorou o aumento global dos preços dos géneros alimentícios e o custo elevado do petróleo no plano internacional, notando que esta nova situação poderá prejudicar os Estados africanos a longo prazo, incluindo nos custos de importação, enquanto os riscos da mudança ameaçavam igualmente o ambiente do continente.
"A qualidade do apoio a África é muito fraca.
Os países africanos ainda estão pressionados pelas dívidas, por isso defendemos um apoio de qualidade para África", concluiu o secretário executivo da Comissão Económica da ONU para África.

28 Janeiro 2008 11:15:00




xhtml CSS