ONU homenageia rede de mulheres da União do rio Mano

Freetown- Serra Leoa (PANA) -- A Rede das Mulheres da União do Rio Mano para a Paz (MARWOPNET) venceu o prémio 2003 dos direitos humanos do Comité especial da Assembleia Geral da ONU, soube-se terça-feira de fontes associativas na capital serra-leonesa.
A MARWOPNET integra membros de outros países da África Ocidental, além das entidades da União do rio Mano (Guiné, Libéria e Serra Leoa).
A primeira vice-presidente da ONG, Agnes Taylor Lewis, que é actualmente a ministra serraleonesa da Saúde e do Saneamento, declarou que aquele prémio tinha sido concedido à Rede em reconhecimento da sua contribuição para a promoção e protecção dos direitos humanos como o estipulava a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
A MARWOPNET esteve representada na cerimónia de entrega do prémio por três dos seus membros executivos, respectivamente a sua presidente, Saran Duraba Kabbah da Guiné, Lewis e a sua segunda vice-presidente, Theresa Leigh Sherman da Libéria.
Mulheres guinenses, liberianas e serraleonesas, preocupadas pela degradação da situação de segurança na sub-região, criaram esta rede com o apoio da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), OUA da época, a Comissão Económica para a África (CEA) e outras agências da ONU.
As actividades da ONG consistem na advocacia para paz e a prevenção dos conflitos.
Segundo Lewis, o prémio será exposto em intervalos regulares a nível dos secretariados do MARWOPNET na Guiné, Libéria e Serra Leoa.

14 Janeiro 2004 21:07:00




xhtml CSS