ONU exorta Governo sudanês a cessar de bombardear Darfur

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, exortou o Governo sudanês a pôr termo aos bombardeamentos aéreos sobre Darfur, porque "isto provocou a morte e a destruição nesta conturbada província nestas últimas três semanas".
Um comunicado divulgado quarta-feira pela porta-voz onusina, Michele Montas, e transmitido aos jornalistas em Nova Iorque indica que Ban Ki-moon está "profundamente preocupado pelos ataques aéreos no norte de Darfur".
"Estes ataques provocaram mais danos ainda e perdas de vidas humanas, incluindo a deslocação dos civis", deplorou Montas citando o SG da ONU.
"A título de exemplo, a escola da aldeia de Um Rai foi afectada por foguetes lançados a partir de um helicóptero do Governo, notou o documento.
"O Secretário-Geral instou vivamente o Governo sudanês a cessar os ataques e a conformar-se estritamente com o Acordo de Paz de Darfur, com as resoluções do Conselho de Segurança e com o direito humanitário internacional", sublinhou o texto.
Ban Ki-moon apelou, por outro lado, ao Governo e a todos os movimentos para "cessar imediatamente as hostilidades militares e cooperar plenamente com a União Africana (UA) e com a Missão das Nações Unidas que estão a envidar esforços de mediação a fim de encontrar uma solução para este conflito devastador".
O embaixador sudanês na ONU, Abdalmahamood Abdalhaleem, afirmou por telefone, durante uma entrevista à PANA, ter dito Ki-moon que estas informações são "falsas".
Abdalhaleem precisou que estas informações foram fabricadas com o intuito de sabotar o processo de paz em curso nessa província do oeste do Sudão e convidou responsáveis onusinos a verficar com o governo sudanês as informaçõeas sobre a situação em Darfur antes de se dirigir à imprensa.
As agências onusinas e humanitárias estimam muitas vezes que 200 mil pessoas foram mortas e mais dois milhões de outras foram deslocadas desde o desencadeamento do conflito em Fevereiro de 2003 quando os rebeldes pegaram em armas contra o Governo, acusando-o de negligência.
Porém as autoridades sudanesas refutam este balanço, defendendo que apenas nove mil pessoas morreram neste conflito.
Na sequência dum recente acordo do Governo sudanês, a ONU está a mobilizar recursos com vista a enviar material de apoio às forças de manutenção da paz da UA em Darfur.

10 Maio 2007 19:48:00




xhtml CSS