ONU exige inquérito sobre casos de violação em Angola e na RDC

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- A representante especial do Secretário- Geral das Nações Unidas para a luta contra a violência sexual em situações de conflito, Margot Wallstrom, exortou as autoridades em Angola e na República Democrática do Congo (RDC) a efetuar um inquérito sobre recentes casos de violação perpetrados na expulsão forçada de algumas pessoas de Angola para a RD Congo.
Num comunicado transmitido segunda-feira à PANA em Nova Iorque, a representante onusina lança um apelo às autoridades dos dois países para levarem a cabo um inquérito sobre tais acusações em conformidade com as leis em vigor.
"Espero que as autoridades de Angola e da RD Congo respeitem os direitos humanos e utilizem todos os seus poderes para impedir quaisquer tipos de atrocidades durante expulsões ulteriores", indicou.
Wallstrom declarou que, apesar da ausência de precisões sobre o local e a identidade dos autores das violações, é "duma importância capital que estas alegações de violações sejam imediatamente verificadas e que os culpados sejam julgados pelas autoridades dos países abrangidos".
Ela revelou que uma missão conjunta das Nações Unidas está neste momento no terreno para ajudar no prosseguimento de inquéritos sobre os recentes supostos casos de violência sexual.
A ONU citou, no mês passado, um relatório não confirmado que revela a chegada de mais de 150 Congoleses à localidade de Tembo, no oeste da RDC, que indicam terem sido expulsos pelas autoridades angolanas.
"As ONG locais declararam ter sido informadas de que dois homens foram mortos e que 30 mulheres foram violadas várias vezes durante a sua expulsão", sublinha Wallstrom no seu comunicado.

09 Novembro 2010 17:29:00


xhtml CSS