ONU denuncia "detenção"arbitrária" de ex-senador mauritano

Nouakchott, Mauritânia (PANA) - Um Grupo de trabalho da Organização das Nações Unidas (ONU-Peritos) denuncia "o caratér arbitrário" da detenção "provisoriamente" de Mohamed ould Ghadda, ex-senador mauritano, desde 1 de setembro de 2017, soube a PANA de fonte oficial.

Nestas circunstâncias, o ex-senador "não pode ser julgado. No entanto, um processos penal está em curso contra si", lê-se num documento oficial, recomendando, igualmente, "a libertação imediata de Mohamed ould Ghaddah", provida do "seu direito a uma indemnização".

O documento do Grupo de trabalho das Nações Unidas (ONU) sobre detenção arbitrária recorda o contexto político em que vive o ex-senador, que liderava um comissão parlamentar sobre alegações de adjudicação de contratos de mútuo acordo por membros do governo.

Nele foi mencionada a sua feroz oposição ao projeto de revisão constitucional que visa a supressão do Senado, rejeitada pela Alta Câmara e, finalmente, adotada por um referendo controverso organizado a 05 de agosto de 2017.

-0- PANA SAS/IS/DIM/DD 28juho2018



28 Junho 2018 09:49:35


xhtml CSS