ONU defende criação de fundo de luta contra inundações em África

Dakar- Senegal (PANA) -- O representante para a África Ocidental do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação dos Assuntos Humanitários (OCHA), Hervé Ludovic De Lys, defendeu segunda-feira em Dakar a criação dum fundo regional e dum armazém humanitário a fim de fazer face às catástrofes naturais nesta região.
Durante uma conferência de imprensa sobre a situação das inundações na África Ocidental, De Lys estimou que é tempo para a comunidade internacional criar um fundo capaz de satisfazer as necessidades humanitárias da região em caso de necessidade.
Ele apelou, por outro lado, para a criação dum armazém humanitário regional a nível do Mali para armazenar os alimentos.
"Sempre que gastarmos um dólar para a compra de um produto, gastamos um meio dólar para pagar o transporte com destino à região", explicou o funcionário onusino, defendendo que a constituição dum armazém permitirá fazer economias.
Ele advogou igualmente a realização dum encontro internacional para reunir todos os países da região e os parceiros a fim de discutirrem sobre os meios a disponibilizar para fazer face às inundações actuais.
"Actualmente, não podemos avaliar as necessidades, pois as intervenções são feitas pelos Governos, pelas Organizações Não Governamentais (ONG) e pelos organismos internacionais", disse Lys.
Na sua opinião, o apoio às populações deve orientar-se para a reabilitação das pistas rurais, das pontes, dos sótãos tradicionais e para a elaboração dum sistema de micro-crédito a favor das populações sinistradas a fim de lhes permitir reinserirem-se mais rápido no tecido económico.
"Não só as inundações afectaram as populações mas destruíram também infra-estruturas.
tais como pontes, sótãos tradicionais e pistas rurais.
o que torna inacessíveis algumas zonas rurais", sublinhou Lys.
Ele anunciou que vários países da região, nomeadamente o Burkina Faso, o Benin, a Côte d'Ivoire, a Gâmbia, o Gana, a Guiné-Conakry, a Libéria, o Mali, a Mauritânia, o Níger, a Nigéria, o Senegal e o Togo, são afectados pelas inundações.
"Quando menos se espera, as populações urbanas são as mais afectadas pelo fenómeno", lamentou.
Segundo o OCHA, cerca de 130 mil pessoas são afectadas actualmente pelas enzurradas que causaram 31 mortos em 13 países da África Ocidental a 1 de Setembro de 2008.
Em 2007, as cheias prejudicaram cerca de um milhão de pessoas em 14 países da África da Ocidental a 8 de Outuburo deste ano.

09 Setembro 2008 19:59:00


xhtml CSS