ONU condiciona credibilidade da UA à busca de solução para crise no Zimbabwe

Charm El-Cheikh- Egipto (PANA) -- A credibildade da União Africana (UA) estará em jogo enquanto ela não encontrar uma solução para a crise que abala actualmente o Zimbabwe, estimou terça-feira em Charm el-Cheikh, no Egipto, a secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU), Asha-Rose Migiro.
Migiro que falava durante uma conferência de imprensa conjunta animada pelo presidente da União Africana (UA), Jakaya Kikwete, após o lançamento de um relatório sobre os esforços necessários a fim de combater a miséria em África, declarou que a sua organização está pronta para apoiar os esforços com vista a atenuar a crise humanitária no Zimbabwe.
A ONU estima que pelo menos 72 biliões de dólares americanos são necessários anualmente para apoiar os progressos contra a pobreza, sublinhando que os programas implmentados até agora para jugular este fenómeno revelaram a existência de um potencial com que se pode realizar os objectivos de desenvolvimento.
Segundo Migiro, África deve resolver a crise no Zimbabwe que, a seu ver, constitui uma ameaça à credibilidade da organização panafricana.
A responsável onusina encorajou igualmente os dirigentes africanos a abordarem a crise no Zimbabwe a fim de chegar a um consenso e encontrar uma solução para o problema sociopolítico neste país da África Austral.
"O Secretário-Geral da ONU (Ban Ki-moon) pronunciou-se sobre as circunstâncias anteriores à segunda volta do escrutínio presidencial.
Sabemos que estas condições não podiam permitir a ninguém apresentar resultados claros e credíveis.
Agora, é preciso encontrar uma saída para este impasse político", concluiu Migiro.

01 Julho 2008 17:59:00




xhtml CSS