ONU condena morte de "capacete azul" mauritano na República Centroafricana

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) – O Secretário-Geral (SG) da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, condenou o assassinato segunda-feira dum “capacete azul” mauritano por milicianos anti-Balaka em Bria, no leste da República Centroafricana (RCA), de acordo com um comunicado onusino.

Segundo o texto, divulgado por um porta-voz da ONU, o ataque ocorreu num posto de controlo dos « capacetes azuis » da MINUSCA perto de uma zona de pessoas deslocadas internas situada na cidade em Bria, tendo causado ferimentos a três soldados da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização na RCA(MINUSCA).

Estes mortos elevam para 14 o número de « capacetes azuis » que pereceram em ataques direcionados perpetrados na RCA desde janeiro de 2017 e o SG da ONU apresentou as suas sentidas condolências às famílias enlutadas, ao Governo e ao povo mauritanos, desejando rápidas melhoras aos feridos, indica o comunicado.

Guterres lembrou que os ataques contra os « capacetes azuis » da ONU podem constituir um crime de guerra exortando as autoridades da RCA a realizarem um inquérito diligente sobre este incidente e julgar os seus autores em tribunal.

« O Secretário-Geral reiterou a determinação da MINUSCA a proteger as populações civis e contribuir para a estabilização na RCA. Aconselhou a todas as partes em causa a absterem-se da violência e trabalharem juntas para restaurar a paz  e a estabilidade do país", de acordo com a fonte.

Confrontos entre a coligação rebelde Séléka, essencialmente muçulmana, e a milícia anti-Balaka, maioritariamente cristã, mergulharam este país de quatro milhões 500 mil habitantes numa guerra civil desde 2013.

-0- PANA MA/ASA/JSG/FK/DD  5dez2017

05 Dezembro 2017 14:09:49




xhtml CSS