ONU advoga parceria reforçada com África a favor da juventude africana

Addis Abeba, Etiópia (PANA) - A Organização das Nações Unidas (ONU) advoga o reforço das relações com a União Africana (UA) a fim de promoverem o desenvolvimento prometido à juventude africana.

O apelo foi lançado segunda-feira em Addis Abeba pela Secretária-Geral adjunta da ONU, Amina Mohammed, quando discursava pela primeira vez,  desde o seu emposse como tal, na cimeira da UA.

A seu ver, a temática da UA focada na juventude é "uma lembrança potencial" do princípio fundamental no centro da agenda do desenvolvimento sustentável de 2030.

Também se escreve no âmbito estratégico da organização pan-africana, designada "Agenda 2063" e de outros acordos internacionais, nomeadamente o de "criar um mundo melhor para a próxima geração", acrescentou Amina Mohammed.

Na sua ótica, para os 226 milhões de jovens de idade compreendida entre os 15 e 24 anos, residentes em África hoje, estes programas versam sobre desafios e oportunidades que fazem parte, na íntegra, do seu futuro.

A SG adjunta da ONU apelou aos dirigentes do continente em geral, reunidos na sede da UA em Addis Abeba, para "construírem novas pontes entre nós e consolidarem as já existentes", a fim de cumprirem as promessas do programa de desenvolvimento para África e o seu povo.

Em abril último, a conferência anual ONU-UA em Nova Iorque, nos Estados Unidos, culminou num quadro comum para uma parceria reforçada sobre a paz e segurança, estando as duas partes a prepararem um quadro comum sobre o desenvolvimento sustentável, consubstanciado na implementação das Agendas 2030 e 2063, segundo a responsável onusina.

Declarou que a ONU colaborará com a UA para uma nova iniciativa Nações Unidas-União Europeia a ser lançada pela Assembleia Geral da ONU em setembro próximo a fim de pôr basta à onda de violência no mundo.

Amina Mohammed mencionou igualmente outros setores onde a ONU e a UA trabalham mais estreitamente, nomeadamente os esforços para reforçarem a parceria em matéria de comunidades económicas regionais de África, bem como no tocante à manutenção de paz, às eleições e transições democráticas.

-0- PANA AO/AR/MTA/TBM/SOC/DD 04julho2017

04 Julho 2017 10:54:30


xhtml CSS