ONU acusa "mercenários estrangeiros" de querer controlar portos petrolíferos líbios

Tripoli, Líbia (PANA) – O representante especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na Líbia, Ghassan Salamé, acusou “mercenários estrangeiros” de tentar controlar os portos petrolíferos líbios, como recentemente na zona do Crescente Petroleiro (leste).

Salamé garantiu que a produção de crude perdeu diariamente 850 mil barris, antes de as forças do Exército Nacional restabelecerem o controlo nas instalações petrolíferas.

Durante a sua exposição no Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na Líbia, Salamé indicou que o progresso político no país está ligado à ausência de ações militares.

"Os últimos dias registaram acontecimentos violentos, o que ocultou os progressos políticos realizados", afirmou o enviado das Nações Unidas e chefe da Missão da ONU na Líbia.

Ele indicou igualmente que os Líbios procuram livrar-se das instituições corruptas, sublinhando que o recém-criado Fórum Nacional foi "uma oportunidade para expor as expetativas e esperanças e as inquietudes dos Líbios e as suas visões para o futuro no seu país.

Ele indicou também que a Missão da ONU trabalhou para a criação de um fórum de diálogo no interior da Líbia.

Durante a sua exposição no Conselho de Segurança da ONU, Salamé notou que a sua Missão trabalhou para preparar uma tribuna de diálogo interlíbio no interior do país, e anunciou a abertura de uma representação em Benghazi, nas próximas semanas.

-0- PANA BY/JSG/FK/IZ 17julho2018

17 Julho 2018 17:34:25


xhtml CSS