ONU, UA e Governo sudanês reúnem-se em Addis Abeba para discutir Darfur

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- A Organização das Nações Unidas (ONU), a União Africana (UA) e o Governo sudanês vão reunir-se segunda-feira próxima em Addis Abeba (Etiópia) para finalizar as importantes "medidas de apoio" à missão da UA em Darfur (oeste sudanês), declarou o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.
"A reunião de segunda-feira não visa renegociar as medidas porque a segunda fase do processo de três fases deve culminar no eventual desdobramento da força híbrida ONU-UA", deu a conhecer o SG da ONU no termo quinta-feira última duma sessão de informação com o Conselho de Segurança (CS) sobre a sua viagem de 11 dias pelo Médio Oriente.
"Visto que o Governo sudanês emitiu certas reservas no que diz respeito às minhas propostas, esta reunião servirá para clarificar e trocar ospiontos de vista sobre estas medidas de apoio", acrescentou.
O ex-vice-ministro sul-coreano dos Negócios Estrangeiros disse esperar que, graças estas diferentes reuniões consultivads, "estejamos em condições de desdobrar uma força híbrida tão cedo quanto possível".
Por seu turno, o presidente do comité das sanções sobre o Sudão, o italiano Marceloo Spatafora, informou o CS sobre os trabalhos de tal comité.
A reunião de Addis Abeba seguir-se-á ao encontro da semana passada em Riad, na Arábia Saudita, no qual participaram Ki-moon, o Presidente sudanês, Omar El- Bashir, a UA e a Liga dos Estados Árabes.
Os participantes neste encontro concordam num reforço dos esforços visando resolver o conflito de Darfur graças a um plano de três fases que deve levar ao desdobramento duma força de paz híbrida na região.
A Missão da UA no Sudão (AMIS), actualmente em Darfur, prevê uma força de sete elementos.
Mp quadro deste plano de três fases, a Missão da ONU no SUdão (UNMIS) fornece à AMIS um "ligeiro apoio" que consiste em conselheiros políticos, no pessoal civil, em recursos suplementares e num apoio técnico.
As importantes medidas de apoio deverão implicar "centenas" de pessoal da ONU e o apoio logístico, ao passo que a futura força híbrida ONU-UA será composta por 17 mil soldados e três mil oficiais de polícia.
Por outro lado, Ki-moon deseja a realização duma outra reunião de alto nível sobre a crise em Darfur em Addis Abebam de 16 a 17 de Abril, com o presidente da Comissão da UA, Alpha Oumar Konaré, o enviado especial da ONU para Darfur, Jan Eliasson, e do seu homólogo da UA, Salim Ahmed Salim.
A região de Darfur está confrontada, desde Fevereiro de 2003, com um conflito armado mortífero que opõe os Djandjawids (milícias apoiadas pelo governo sudanês) aos movimentos rebeldes africanos e que já fez mais de 200 mil mortos e pelo menos dois milhões e 500 mil deslocados, segundo as estimações da ONU.

06 Abril 2007 19:52:00




xhtml CSS