ONG tunisina preocupada com situação de migrantes africanos evacuados de Choucha

Túnis, Tunísia (PANA)   - O comité tunisino para o acompanhamento da situação dos migrantes evacuados do campo de Choucha, próximo da fronteira com a Líbia, diz-se chocado com as condições em que estes se  encontram, há dois meses.

Num comunicado emitido esta segunda-feira, o comité precisa que migrantes alojados provisoriamente na Casa dos Jovens de Marsa, nos arredores de Túnis, não gozam de todos os seus direitos nem beneficiam de serviços  essenciais como cuidados médicos e outros.

Por isso, apelou às organizações internacionais interessadas e  às autoridades tunisinas para assumir as suas responsabilidades em relação à situação preocupante dos migrantes.

O counicado, igualmente assinado por várias outras organizações das quais o Fórum tunisino para os Direitos  Económicos e Sociais e a Liga Tunisina para a Defesa dos Direitos Humanos, sublinha que as organizações que assumiram o realojamento dos migrantes não cumpriram os seus deveres de forma correta, pois elas não podem ocupar-se eficazemente dos direitos essenciais dos migrantes.

Devido a esta situação e à falta de transparência na gestão do dossiê, os migrantes decidiram observar uma greve de fome a fim de chamar a atenção  para as suas condições de vida, acrescenta o texto.

O comité exigiu das autoridades tunisinas para garantir com urgência, em colaboração com as organizações da sociedade civil especializadas, uma  cobertura médica e psicológica dos migrantes.

-0- PANA AD/IN/IS/FK/IZ  21ago2017

21 Agosto 2017 18:16:32


xhtml CSS