ONG pede reabertura de inquérito sobre morte de jornalista gambiano

Dakar- Senegal (PANA) -- A Fundação de Imprensa para a África Ocidental (MFWA) renovou o seu apelo para a abertura dum inquérito "digno deste nome" para elucidar as condições da morte do jornalista gambiano Deyda Hydara em Dezembro de 2004.
O organismo sub-regional de defesa da liberdade de imprensa sediado em Accra (Gana), num comunicado publicado na véspera do terceiro aniversário do assassinato de Hydara, exprime a sua amargura pela reticência das autoridades gambianas em resolver este caso.
A organização solicitou ainda a intervenção da comunidade internacional para que os autores deste acto sejam julgados.
"A 16 de Dezembro de 2007 fará três anos que um dos jornalistas gambianos mais célebre, Deyda Hydara, editor e co-proprietário do semanário privado The Point foi assassinado por pessoas não identificadas, no dia em que o seu jornal celebrava o seu 13º aniversário", nota o comunicado, cuja cópia a PANA teve acesso sábado.
"A MFWA não está surpreendida de constatar que ninguém foi detido e julgado após este assassinato, visto que antes da morte de Hydara um outro jornalista, Omar Barrow, foi abatido pela Segurança de Estado em 2000 durante manifestações organizadas por estudantes", acrescenta o organismo de defesa da liberdade de imprensa.
Hydara, de 58 anos de idade, foi morto ao volante da sua viatura quando regressava à casa com alguns empregados seus, que foram feridos pelos assaltantes.

16 Dezembro 2007 19:23:00




xhtml CSS