ONG maurícia a favor da interdição da publicidade do álcool

Port-Louis- Ilhas Maurícias (PANA) -- A Agência maurícia para o Tratamento e Reabilitação de Drogados (NATRESA) reclamou este fim-de-semana a interdição da publicidade sobre o álcool na ilha, devido aos danos causados ao indivíduo e à sociedade, soube a PANA junto dos membros da referida instituição.
Num relatório submetido ao governo, a NATREEZA pediu igualmente que seja interditado o patrocínio directo ou indirecto dos eventos ou projectos por firmas produtoras de álcool.
"Baseamo-nos em dados e constatações relativos aos prejuízos provocados pelo excesso de bebidas alcóolicas no indivíduo, na sua vizinhança, na célula familiar, na sociedade, na economia do país e noutros locais", declarou um membro da NATRESA, antes de acusar os publicitários e os produtores de terem como alvo preferencial os jovens.
Citando dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, o relatório salienta que no ano transacto, 2.
540 pessoas haviam sido hospitalizadas em diferentes centros de saúde na ilha devido à complicações ligadas à dependência alcoólica.
Cerca de 144 casos estavam ligados à psicoses geradas pelo alcoolismo e 244 provocados pela cirrose do fígado.
Um estudo realizado pelo Ministério da Saúde em 1992 indicava que 66 por cento dos homens e 28 por cento das mulheres consumiam o álcool regularmente.

01 Junho 2003 12:21:00


xhtml CSS