ONG francesa saúda projecto-de-lei contra mercenários

Paris- França (PANA) -- O presidente de uma ONG francesa designada Survie, interessada na política franco- africana,François Xavier Verschave, saudou a decisão do governo francês de votar uma lei destinada a punir os mercenários.
Verschave manifestou o seu apoio quando reagia a um artigo publicado no La Croix, un diário francês, e que anuncia a confirmação, pelo ministro francês dos Negócios estrangeiros, Dominique de villepin, da decisão do governo do presidente Jacques Chirac de submeter à Assembleia nacional um projecto de lei contra os mercenários.
Uma lei destinada a condenar o mercenarismo proposto por Lionel Jospin, antigo chefe do governo socialista, foi apresentada perante o senado em Abril 2001 pelos socialistes, mas nunca chegou a ser promulgada,lamentou.
A Survie insiste em reclamar do governo para que vote uma lei contra o mercenarismo, fenómeno que tem estado a destabilizar os países africanos.
Fazendo alusão à tentativa de desestabilição do Madagáscar, em Junho 2002, que falhou gracas à intervenção conjunta de Chirac e das autoridades tanzanianas - que interceptaram um grupo de pessoas, idas da França, que escalaram Dar-es-Salam rumo à esta ilha do oceano índico - Vershave disse que este é o último exemplo neste domínio.
O antigo presidente do Madagáscar, Didier Ratsiraka, exilado na França, é muito suspeito de ter enviado mercenários para desestabilizar o presidente Marc Ravalomanana, no auge da crise que abalou esta ilha, pouco tempo após uma eleição presidencial contestada entre os dois homens, argumentou.
Para ele, esta lei, se for votada, deverá abolir um dos capítulos mais sombrios das relações africanas, em que o mercenarismo francês em África ajudou a apoiar os ditadores e as mudanças de regimes no continente por vias antidemocráticas.

28 Novembro 2002 12:01:00


xhtml CSS