ONG exigem reforço de força da manutenção da paz em Darfur

Dakar- Senegal (PANA) -- Darfour Consortium, uma coligação de mais de 50 Organizações Não Governamentais (ONG) africanas e internacionais de defesa dos direitos humanos, apelou segunda-feira para o "desdobramento suplementar da força de manutenção da paz em Darfur (conturbada região ocidental do Sudão), segundo um comunicado desta instituição a que a PANA teve acesso segunda-feira.
Segundo a nota, a comunidade internacional "deve reforçar urgentemente o seu apoio aos corajosos soldados da Missão híbrida das Nações Unidas e da União Africana em Darfur (MINUAD), alertou Darfour Consórcio.
"A MINUAD só dispõe actualmente de cerca de pouco mais de nove mil soldados sobre os 26 mil primetidos", estimou esta ONG de defesa dos direitos humanos, sublinhando que a falta de tropa, bem como de meios de transporte como helicópteros e veículos blindados, impede os capacetes azuis desdobrados em Darfour de abandonarem, temporariamente sequer, as suas posições no terreno para serem formados pelas Nações Unidas.
Segundo Darfour Consortium, esta força não tem ncapacidade para garantir a sua própria protecção e, consequentemente, a das populações civis.
"As populações de Darfur merecem algo melhor do que discursos vazios e promessas não cumpridas", prossegue o comunicado, lembrando a promessa da "maior força de protecção nunca desdobrada" feita há um ano pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas às populações de Darfur.
Para a coligação das ONG, os responsáveis pelo fracasso deste desdobramento são o "Governo sudanês que rejetou numerosas propostas vitais de envio e os países doadores de fundos que não deram equipamentos suficientes".
As Nações Unidas e a UA também são responsáveis por terem atrasado demasiado no desdobramento, a MINUAD podia ter actuado com muitas iniciativas no terreno, lê-se no texto.
Darfour Consortium apelou à comunidade internacional para fazer tudo a fim de que esta força beneficie de equipamentos prometidos e que o Goveno sudanês coopere integral e rapidamente.
"Com certeza, a MINUAD não tem capacidade para responder a combates de forte intensidade mas ela pode proteger-se cada vez mais da violência quotidiana", estimou a referida ONG, sustentando que, há mais de cinco anos, as populações de Darfur não cessaram de reivindicar a protecção contra qualquer forma de violência.

08 septembre 2008 21:58:00




xhtml CSS