ONG acusa empresas mineiras de poluir água na RD Congo

Kinshasa- RD Congo (PANA) -- Uma Organização não Governamental de defesa dos direitos humanos, o Centro dos Direitos Humanos e Direito Humanitário (CDH), denunciou quarta-feira a poluição da água de consumo doméstico por empresas mineiras instaladas em Lubumbashi, em Katanga (sul da RD Congo).
Num comunicado transmitido à PANA em Kinshasa, a CDH, que acusa outras empresas como a SHEMAF e a EXACO, lembrou que tentativas para obter a deslocalização da fábrica da Sociedade Mineira de Katanga (SOMIKA) continuam inúteis há mais de quatro anos.
O CDH indica que a ministra provincial do Ambiente, Thérèse Lukenge, desmentiu que a SOMIKA esteja a poluir a água destinada ao consumo doméstico, ao passo que os ginecologistas confirmaram a existência de vários casos de deformação congénita em diversos hospitais de Lubumbashi após o nascimento de bebés, um fenómeno que, segundo a ONG, seria uma consequência da utilização duma água poluída.
"Envidamos um grande esforço para lutar contra a poluição.
Até prova contrária, a natureza da água que controlo e que a empresa REGIDESO fornece à população não apresenta os interferentes provenientes da SOMIKA.
A SHEMAF cessou a saída das suas águas para o exterior.
Já é uma grande melhoria", explicou a governante congolesa.

12 Novembro 2008 14:51:00


xhtml CSS