ONG deplora rutura de antirretrovirais no Congo

Brazzaville, Congo (PANA ) – A Federação Congolesa dos Direitos Humanos (FECODHO) deplorou esta sexta-feira  em Brazzaville a rutura dos antirretrovirais (ARV), anunciou o seu presidente, Céphas Germain Ewangui.

Numa carta aberta enviada à ministra congolesa da Saúde e População, após um inquérito,

No termo deste inquérito, ressalta-se que uma situação extremamente grave ameaça de forma perigosa a vida de milhares de filhas e filhos do Congo portadores do VIH/Sida, apesar dos diferentes  alertas provenientes das organizações de promoção e de defesa dos direitos humanos.

« Acontece que a senhora ministra, e você o sabe, que a situação do VIH/Sida no Congo está preocupante com mais de 100 mil pessoas infetadas. E a rutura dos ARV provoca inelutavelmente  resistências orgânicas, a degradação  do tratamento dos pacientes,  provoca o desabamento do sistema imunitário e o ressurgimento e o desenvolvimento das doenças oportunistas e mortes em série », precisa o inquérito.

« Com base em informações recolhidas junto das estruturas especializadas, ressalta-se que é o vosso gabinete que monopoliza diretamente as operações de abastecimento dos ARV  transformando-se, assim, numa central de compra em vez da Congolesa dos Medicamentos Essenciais Genéricos.

A FECDHO  denuncia com firmeza  o que ela considera como "comportamentos e práticas  cruéis e desumanos" e responsabiliza o vosso gabinete por todas as consequências resultantes desta situação », conclui  a Organização Não Governamental.

-0- PANA MB/TBM/FK/DD  9set2016

09 Setembro 2016 13:12:39


xhtml CSS