OMS lamenta taxa elevada de mortalidade apesar de vacinas

Dakar- Senegal (PANA) -- O director-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Jong-wook Lee, considerou "inconcebível" que cerca de dois milhões de pessoas morram anualmente, em pleno século XXI,  de doenças infecciosas que poderiam ser evitadas pela vacinação de base.
Lee, que é igualmente o presidente do Conselho de Administração da Aliança Mundial para as Vacinas e Vacinação (GAVI), indicou que as doenças continuam a destruir apesar do progresso notável na cobertura vacinal no mundo inteiro durante as três últimas  décadas.
O director da OMS reagia à contribuição de 750 milhões de dólares anunciada pela Fundação Bill e Melinda Gates para o trabalho da GAVI de que a OMS é parceira.
O Parlamento da Noruega prometeu também 250 milhões de dólares para o período 2005-2010 para apoiar a GAVI.
"Saúdo os anúncios feitos pela Noruega e pela Fundação de Bill e Melinda Gates", declara Lee num comunicado, estimando que essas grandes contribuições vão ajudar a salvar centenas de milhares de pessoas e prevenir o sofrimento e as enfermidades durante os próximos anos.
De acordo com ele, as populações dos países desenvolvidos vão beneficiar enormemente dos seus fundos adicionais que vão encorajar o desenvolvimento e a introdução de novas vacinas, aumentarão o acesso às vacinas sub-utilizadas e reforçarão os sistemas nacionais de imunização.

28 Janeiro 2005 20:24:00




xhtml CSS